VOCÊ NÃO ESTÁ SOZINHO!!!

PRECISANDO DE AJUDA ENTRE EM CONTATO!!!

(34) 9244-8208

   
     
27 de Julho - Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas lança cartilha para adolescentes   O...
22 de Julho - Cientistas treinam abelhas para detectar drogas Abelhas poderiam substituir cães farejadores em aeroportos,...
17 de Julho - 40 mil conselheiros e líderes comunitários de todo o Brasil poderão fazer curso de prevenção...
6 de Julho - PF apreende 2 fuzis, munição e 550 kg de maconha em Simão Dias/SE Aracajú/SE –...
 
23 de Maio PF lança cartazes de prevenção às drogas

Polícia Federal lança cartazes de prevenção às drogas   

O Grupo de Prevenção ao Uso Indevido de Drogas da Academia Nacional de Polícia - GPRED/ANP lançou uma série de cartazes sócio-educativos para promoção da saúde e prevenção ao uso indevido de drogas.
O objetivo é conduzir a sociedade a uma reflexão sobre os seus valores, alertando sobre a necessidade do engajamento de todos na busca da redução dos fatores de vulnerabilidade e risco, e da promoção e fortalecimento dos fatores de proteção, combatendo o alarmante problema decorrente das drogas e promovendo a saúde, a vida digna e o bem-estar social.
A Polícia Federal já executa um trabalho árduo, permanente e efetivo de repressão. Com a constituição dos Grupos de Prevenção ao Uso Indevido de Drogas atuará também na seara da prevenção, promovendo a redução da procura pelas drogas. Atualmente, 16 estados já constituíram o grupo.
A conscientização e a participação dos diversos setores da sociedade - família, escolas, entidades religiosas, instituições públicas e privadas, meios de imprensa etc. - são fundamentais na luta contra as drogas. 
A responsabilidade é de todos nós! Todo cidadão pode e deve participar deste processo!
Autor:
OBID Fonte: DPF


 
17 de Maio Bolsa Crack

Governo de São Paulo lança Bolsa Crack   

O governo de São Paulo lançou oficialmente nesta quinta-feira um programa pelo qual usuários de crack receberão uma bolsa de R$ 1.350 por mês para custear despesas com unidades de reabilitação e acolhimento social e evitar recaídas. 

O programa, que é visto com algumas ressalvas por especialistas, é anunciado ao mesmo tempo em que o atendimento a dependentes de drogas no Centro de Referência de Álcool, Tabaco e Outras Drogas (Cratod), do governo estadual, ainda esbarra em dificuldades, segundo juízes.

Pelo programa Recomeço, cada dependente químico maior de 18 anos receberá um cartão que só poderá ser usado para pagar tratamento em comunidades terapêuticas, onde poderão morar e se tratar por até seis meses. Inicialmente, o projeto vai beneficiar 3 mil dependentes químicos que já tenham passado por atendimento psiquiátrico anterior. Caberá às prefeituras indicar os nomes dos dependentes que receberão o cartão, pois são os municípios que gerenciam os Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (Caps AD), onde os viciados recebem atendimento ambulatorial. O projeto chegará primeiro a 11 cidades do interior do estado onde há Caps AD.

— Na comunidade terapêutica, o dependente tem qualificação profissional, de fortalecimento de vínculos com a família. Não tem médico, tem assistente social e pessoas que ministram oficinas para ajudar ele a se inserir na sociedade e no mercado de trabalho. Médico ele verá na rede de saúde pública e no Caps. O cartão agilizará o avanço do atendimento para o interior — explica o secretário de Desenvolvimento Social, Rodrigo Garcia.

Segundo o secretário, na capital, o atendimento já é feito por comunidades terapêuticas conveniadas. Ele estima que em 60 dias já haverá pessoas começando a serem atendidas. As comunidades terapêuticas serão escolhidas pelo governo após passar por vistorias e terão que apresentar plano de atividades para os usuários, dentre outros requisitos. A iniciativa é inspirada num projeto similar feito pelo governo de Minas Gerais, onde a bolsa é de cerca de R$ 900.

A professora de psiquiatria da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e ex-presidente da Associação Brasileira de Estudos do Álcool e Outras Drogas Ana Cecília Marques disse que numa situação em que pouco se faz para resolver o problema do crack no país, a iniciativa é positiva e pode ajudar pacientes que não teriam alternativa de tratamento caso não recebessem a bolsa. Mas ela acredita que o governo deveria exigir que houvesse um médico dentro das comunidades terapêuticas credenciadas.

— Precisa de médico para fazer avaliação da síndrome de abstinência, que é um quadro grave e tem que ser tratado por um médico — afirma.
Thiago Fidalgo, coordenador do Programa de Orientação e Atendimento a Dependentes da Unifesp , diz que o governo não deveria privilegiar a internação como solução para o problema das drogas, e sim investir em prevenção e tratamento ambulatorial, pois a internação é necessária em apenas alguns casos. Segundo ele, muitas comunidades terapêuticas não trabalham de forma adequada atualmente e precisariam se adequar.

— Em muitas comunidades terapêuticas, pelo menos no período inicial, o dependente não pode deixar a unidade. Cerca de 70% dos usuários de drogas têm doenças psiquiátricas que precisam ser tratadas e a maior parte das comunidades terapêuticas não tem psiquiatra. O ideal é que a comunidade estimule a inserção social. E como ela vai fazer isso se afasta a pessoa da comunidade? — questiona Fidalgo.

Mais de três meses depois de um plantão judiciário ter sido instalado no Cratod, unidade de referência ao atendimento de dependentes no estado, a burocracia ainda emperra a ajuda a viciados. Segundo o juiz Iasin Issa Ahmedas, ainda há casos de dependentes em crack que esperam 30 dias para serem internados por falta de vagas, mesmo quando possuem laudo médico recomendando internação e decisão judicial determinando que o estado tome providências.

— Na última sexta-feira houve um caso de um rapaz que estava há 30 dias esperando vaga, em casa. Ele estava estável, mas isso é um absurdo. Tem que ter vaga logo. A gente liga, cobra, e a vaga não sai. A novela desse rapaz acabou, ele conseguiu a vaga. Mas há uma burocracia enorme na área da saúde, as pessoas não se comunicam — disse Ahmedas.

Segundo a secretaria estadual de Saúde, desde que o plantão judiciário começou a atender no Cratod, em 21 de janeiro, até anteontem, o centro recebeu 25 mil telefonemas pedindo informações e foram realizadas 770 internações (sendo 712 voluntárias e 58 involuntárias, mas nenhuma compulsória). De acordo com a pasta, em 92% dos casos atendidos pela unidade, com necessidade constatada de internação, os pacientes permanecem por no máximo dois dias no Cratod, em leitos de observação, enquanto há a liberação de transferência para uma unidade hospitalar.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)


 
12 de Maio Vitamina E

Vitamina E acelera recuperação de ex-fumante   

Ingerir uma forma específica de suplemento de vitamina E pode acelerar a recuperação do indivíduo que para de fumar. Em um pequeno estudo, a melhora na função dos vasos sanguíneos associada à adição de vitamina E, potencialmente, se traduz numa redução em 19% do risco de doença cardiovascular.

Fumantes participaram do estudo, interrompendo a dependência por uma semana. Depois deste período, os participantes tiveram um aumento da função vascular em média em 2,8%. Aqueles que pararam de fumar e também tomaram um suplemento de vitamina E sob a forma de gama-tocoferol mostraram um acréscimo de 1,5% sobre os 2,8%.

De acordo com os pesquisadores, enquanto estas mudanças na função vascular podem parecer pequenas, outros estudos de larga escala sugerem que melhora de cada 1% da função vascular — ou aumento da dilatação dos vasos sanguíneos —, isto é traduzido em 13% de queda no risco de desenvolver doenças cardiovasculares durante a vida.

- Este é um estudo de curto-prazo, que mostra efeitos muito promissores - disse o professor associado de nutrição humana da Universidade do Estado de Ohio(EUA), Richard Bruno. "A lógica subjacente é que sabemos que leva muitos anos para que o risco de doença cardiovascular de um ex-fumante seja comparado a de um não fumante", completou.

A pesquisa foi apresentada na última quarta-feira no Encontro Anual de Biologia Experimental de Boston. O suplemento usado no estudo não é o mesmo que geralmente está disponível nas prateleiras. A vitamina E pode ser encontrada em oito formas diferentes com base em suas estruturas químicas.

Bruno também ressaltou que estudos de longo prazo com mais participantes ainda são necessários antes que a vitamina E seja uma recomendação relacionada à interrupção do fumo. Ao todo, participaram 30 fumantes por volta dos 20 anos que tinham fumado pelo menos meio pacote de cigarros por dia no último ano. Todos os participantes pararam de fumar, e 16 receberam 500 miligramas diárias de gama-tocoferol, enquanto 14 receberam placebo.
Autor: OBID
Fonte: Jornal O Globo


 
8 de Maio Sem Tabaco, 100% Fashion

Centro de Câncer de Brasília faz campanha ´Sem Tabaco, 100% Fashion`   

Escolha a vida. É esse lema que estampa as camisetas da campanha Sem Tabaco, 100% Fashion. Em 2013, o projeto do Centro de Câncer de Brasília - Cettro celebra 10 anos. Uma década lutando contra a epidemia do tabaco. Dependência que é apontada como a principal causa evitável de morte no mundo e atualmente é responsável pelo óbito de um em cada 10 adultos.

Este ano, o Cettro traz apoio internacional, com camiseta criada pelos estilistas italianos Fabio Sasso e Juan Caro, da marca Leitmotiv. Juan Caro ressalta que a inspiração da t-shirt nasceu da ideia de criar uma camiseta com uma mensagem bastante importante, que é não fumar. "Esse projeto social é muito interessante, pois mostra como a moda pode contribuir e lançar uma mensagem. Nas camisetas, estampamos o tigre como símbolo de coragem e os pássaros de liberdade", diz.

O especialista Dr. Murilo Buso, comandante do movimento, aponta que a campanha tem como foco adolescentes e mulheres. "Para os jovens é necessário dizer: não acendam o primeiro cigarro, fashion é não fumar. Já as mulheres, que fumam cada vez mais cedo, precisam compreender que além dos riscos aos quais todo fumantes se expõe, estudos mostram que elas têm mais dificuldade em abandonar o cigarro", disse. 

Maria Thereza Laudares atuou como consultora de moda da campanha e intermediou a escolha dos estilistas. Maria Thereza conta que a dupla trabalha na marca Leitmotiv a cor, alegria e essa forma positiva de afrontar a vida. Essa identidade casou com a campanha. "Na camiseta, temos a frase Choose life, ou seja, escolha a vida. Essa é a ideia, escolher a vida a qualquer outra coisa", explica.

Disponível a venda a partir do dia 28 de maio, na loja Avanzzo, a camiseta traz referências do mundo lúdico e pictórico da marca. "Ao fundo, temos um desenho de um tigre, que vem sendo trabalhado na moda. Além de todos itens estampados que remetem a nova coleção dos estilistas", finaliza.
Autor:
OBID Fonte: GPS Brasilia


 
Primeira Anterior 25 26 27 28 29 30 31 Próxima Última
Copyright © 2010 DependenciaQuimica.inf.br
Todos os direitos reservados